Quem lê / Who's reading

"a escrita é a minha primeira morada de silêncio" |Al Berto

sábado, 10 de maio de 2014

Silêncio



Tango with lions – in a bar 

O dia está tão silencioso que posso ouvir os ponteiros do relógio a moverem-se, compassadamente. Mas tão, tão lentamente. Tão lentamente, que entre cada minuto, posso rever a minha vida toda na minha cabeça. Num minuto de trás para a frente, no minuto seguinte, da frente para trás. Significará isso que o tempo ora passa devagar, ou que a vida foi curta, no que importa contar?

Nos dias em que o significado das coisas me abraça, são essas as perguntas que me faço. E com a falta de respostas, o relógio anda mais devagar, e esse abraço aperta-me ainda mais, quase não me deixa respirar.

E não nascem respostas, só mais perguntas…




4 comentários:

  1. Isa,
    O silêncio deve, por vezes, fazer-se em nós para que seja possível ver-nos no rodar dos ponteiros...
    O teu texto é tão sensível que me deixou por um momento sem poder mover... será que os ponteiros também pararam?
    Adoro as reflexões que nos inspiras!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  2. Dulce, acredito que o silêncio (primordial) é essencial e não devemos deixar de lhe dar as boas vindas quando ele nos chama. Mesmo que para fazer perguntas!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Palavras na cadência

    do relógio de pêndulo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minuto a minuto, marcado pelo pêndulo :)

      Eliminar

Um espaço para recortes que completem o álbum de instantâneos... Obrigada pela visita!
A space for clip to complete this snapshot album... Thank you for your visit!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares / Popular messages