Quem lê / Who's reading

"a escrita é a minha primeira morada de silêncio" |Al Berto

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Poderia ser tua

Arte: Poderia ser tua, Carlos Saramago

Poderia ser tua
Desse desejo
Que te corre nas mãos
A quererem conhecer-me a pele
A vesti-la de nudez;
Desse abraço
Que não sei
Mas que talvez
Sejam só dois braços
Estreitando-me o corpo
Que quieto está
Desse beijo
Dos lábios que queima
Enquanto refrescam
Que dão vida
Ao tirar o ar;
Poderia ser tua…
Mas deixas-me ser eu…?


Poema inspirado na tela homónima

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Amizade

Da série Correspondence, (c) Gaëlle Boissonnard – Presente da Fátima

















Ainda que haja distância
Mundo afora estejamos
Irmãs de coração
Zinia colorida
Abraça a estrada
Dúvidas não há:
Estaremos sempre perto!



In Meninas Aladas

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Encontro

Foto: cutout-shape-212016__180, www.pixabay.com

Toda a vida te esperei
E hoje
Que os teus olhos
Se cruzaram com os meus
Um novo Eu
Se abre no meu peito
Pronto
Para nova vida viver
O coração bate
E aquieta-se
Na certeza de que és tu
Que completa
Me fará.



# Das conversas com o Amor

sábado, 31 de janeiro de 2015

Olhos negros

Foto: anna bocek art

Os teus olhos estão negros hoje
Parecem declamar-te
Como um poema dito
Que escreveste a ti mesma;

Expões
As páginas do livro
Abertas sobre o rosto
Não há quem as saiba ler!
Sentes tu.

Poucos as vêm
Menos as entendem
As palavras escritas por teu punho
Guardadas aí
No negro dos teus olhos;

Mas há quem as tacteie
Como se fossem Braille
Quem as abrace com paciência
Até que deixem de ser grito
E as apanhe
Quando caem lágrima.

Os teus olhos estão negros hoje
Ao teu lado
Silenciosamente
Alguém espera que volvam ao mar.


Poema originalmente publicado no Beco de Ideias, aqui.

sábado, 24 de janeiro de 2015

Underworld

Arte: JPM Artes, João Marques


Took a peek
Inside myself
At first sight
Nothing I knew
Ventured to go further
Still
Nothing I’ve ever seen
Where does it all
Cames from?
How can it be me
In the eye of a storm?
Shall I risk
To travel deeper?
How many layers
Of me are there?
If I dare
Will I be able to came back
From behind the mirror?

sábado, 17 de janeiro de 2015

Suspensa

Foto: Suhtukaa, Tesouro sem chave, Carlos Saramago

Suspensa
Paira sobre mim
A memória do que fui;
Os sonhos
Que me consomem o futuro
Ao alcance de uma mão
Que não consigo esticar.

Parada, nesta pose tanto
Estudada
Não consigo mais ficar
Estico uma mão acima
Outra ao lado
Passado ou futuro
Algum me há-de
Puxar.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares / Popular messages